Escolas municipais oferecem saúde e beleza na I Mostra de Mulheres Empreendedoras

• Atualizado há 12 meses ago

Com a proposta de ações por território, escolas municipais se reuniram em alusão ao Dia Internacional da Mulher, que transcorreu no dia 8 de março, para realizar a I Mostra de Mulheres Empreendedoras. O encontro foi na Escola Municipal Duas Irmãs, no Tapanã, com as escolas EMEIF Nova Aliança, EMEI Pratinha, UEI Pratinha, UEI São José, com o objetivo de valorizar as mulheres da comunidade.

Com o tema “É hora de mostrar seu trabalho, seu talento, sua força…”, a mostra reuniu, na última sexta-feira, quase 30 mães, avós, tias de estudantes que fizeram a exposição de seus produtos, entre eles, artesanatos e cosméticos que geram renda familiar e potencializam a economia criativa do bairro. O encontro também teve oferta de serviços voltados à saúde e ao bem-estar da mulher.

Mulheres de força

“Essa proposta surgiu na reunião de território entre as escolas e planejamos esse momento: ajudar essas mulheres da nossa comunidade, empreendedoras, de força, que às vezes são mães solo que correm atrás de uma renda. É uma forma de prestigiar o talento dessas mulheres”, destacou a diretora da escola Duas Irmãs, Vanessa Machado.

A ação ocorreu na quadra da escola e contou também com o apoio da Defesa Civil, Secretaria Municipal de Saneamento e do Corpo Militar dos Bombeiros do Pará. 

Gratidão

Agradecida pela oportunidade de fazer parte do evento, Roseane Santos, de 36 anos, mãe da estudante Ana Lídia Santos, de 4, participou com a venda de comida, na esperança de expandir o seu negócio. “É a minha renda e também ajudo em casa. Quando comecei tinha cem reais e fiz bolo de pote caseiro. Graças a Deus hoje tem minha mãe, minha irmã que me ajudam. Uma ajudando à outra”, disse.

“Eu me sinto feliz de estar aqui mostrando o meu trabalho. Aprendi tudo pela internet, mas se tiver uma oportunidade quero fazer um curso de artesanato e costura”, revelou Regilene Santos Vilhena, de 29 anos, mãe da estudante Lorramile Victória dos Santos Barbosa, de 9 anos. Regilene é beneficiária do Bolsa Família e quer conquistar sua liberdade financeira com a venda de seus produtos de beleza, bijuterias e artesanato.

História de vida

A escola também recebeu mulheres com histórias de vida de muita luta.

Joana Oliveira, de 51 anos, moradora do bairro, revela que o crochê entrou na vida dela quando todas as portas se fecharam. Foi aí que lembrou do crochê, começou vendendo na porta de casa e hoje a produção já chegou a Manaus e cidades do Maranhão.

“Aqui na escola, vejo a oportunidade de várias portas se abrindo, não só pra mim, como pra muitas pessoas que estão aí paradas e acham que não podem fazer nada, que não podem vencer. Podem sim. A gente tem que se dar valor. Quando alguém diz que não vai  conseguir, acredite que vai conseguir, sim”, aconselhou Joana. 

Em várias escolas

A I Mostra de Mulheres Empreendedoras ocorreu em outras escolas da rede, como EMEIF Alda Eutrópio, com a EMEI Cleonice; EMEI Nosso Lar, com a EMEI Aldair Neri Lopes; e EMEI Elvira Quadros Sacramento.

Em outras escolas muinicpais a programação em alusão ao Dia Internacional da Mulher foi bem diversificada. Na EMEI Prof Laís F. Ardene houve palestra, vacinação e oficinas (culinária, limpeza de pele, tiaras, crochê).

Já na EMEIF Paulo Almeida Brasil, os estudantes entregam flores as mulheres da comunidade.

Na EMEI Ernestina Rodrigues houve homenagem às servidoras e na EMEI Profª Círia de Nazaré Tulosa dos Santos houve palestra, treino funcional, serviços de beleza e oficinas.
 

Texto:

Tábita Oliveira

Veja também

Skip to content